quarta-feira, junho 23, 2010

Como são as celas dos presídios na Alemanha?

O Gilmar Bortolotto esteve em Rio Grande muito recentemente a falar para os estudantes da cidade acerca do manejo das questões relacionadas aos presídios. Até já escrevi um post a respeito disso há algum tempo. De todas as coisas chocantes e interessantes que ele foi capaz de dizer, uma me chamou especial atenção: foi o raciocínio que as prisões são ruins porque há um desejo social intrínseco – vamos chamar assim – de “devolver” ao preso o sofrimento que este infligiu à vítima.

Falo, evidentemente, de sofrimento que extravasa a privação de liberdade prevista na lei, mas, também, a consistir em más condições de habitação, má-alimentação, más condições sanitárias e assim adiante. Essa idéia se consolida com o pensamento popular de que há algo de injusto de que o Estado tenha de “pagar hospedagem e comida” a quem cometeu um crime.

A verdade desnudada pelo Gilmar, contudo, aponta que se há esse desejo de realizar mais mal do que a lei determina, há de se ter também a certa noção de que esse pessoal que se encontra preso um dia, inevitavelmente, sairá dali para a liberdade. E no caso aqui de Rio Grande/RS, eles certamente não irão se mudar imediatamente para Pelotas, São Lourenço ou Camaquã: ficarão por aqui mesmo.

Em estabelecido esse raciocínio, há de se ter claro também que em sendo certo que esse pessoal voltará à liberdade, nos cumpre determinar se voltarão piores ou melhores. Se voltarem piores, pior para nós. Se voltarem melhores, melhor para nós.

Levando em conta esse raciocínio, colo abaixo algumas fotografias que saquei da internet a retratar algumas celas na Alemanha. Um preso por cela, com algum espaço para que o sujeito circule. Nada de luxo. Não tenho certeza, mas acho que os eletrodomésticos nas celas pertencem aos presos. Por fim, acho que os de lá tem mais chance de voltar melhores. Mas é só minha opinião.

prison_01

 prison_05

 prison_02

Fonte das fotografias:http://izismile.com/2009/05/04/german_prisons_9_pics.html#comment.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget